sábado, 3 de maio de 2008

A individualidade interdependente:

Nenhum comentário


Autonomia é uma situação de liberdade de ação. Alcançar a autonomia individual e coletiva não será tão difícil quanto se pensa. Se temos disposição para acordar todos os dias e cumprir o comando de uma política econômica determinada por grupos empresariais e corporações internacionais em troca de condições materiais de vida, somos, igualmente capazes de acordar todos os dias e atendermos aos nossos próprios comandos para uma vida realizadora.

Todos os dias questiono o que nos move e o que sustenta uma dinâmica cotidiana insana permeada de horários a cumprir, de transito caótico, de competição, de traições e de discriminações. O que nos move a pactuar com um modelo que nos é totalmente hostil?

Todos os dias, questiono que nos mantém subordinados a uma “gestão de Estado ineficiente, a uma estrutura burocrática cega, serviços mal executados, a salários marginais e a trabalhos sem qualquer decência?

Todos os dias, questiono por que aceitamos um modelo político e econômico que não nos permite ser ou ter de acordo com nossa própria escolha?

Estamos todos e todas aprisionados em uma rede sofisticada de múltiplas situações de opressão que nos hipnotiza ao ponto de promover a crença de que são aceitáveis pois sem elas não teriamos nosso carro, nossa casa, nosso celular com “Bluetooth”, nosso “ hometheater”! Até a crença de que nossa opinião, nossa vontade e nossa escolha não determinará qualquer mudança em nossa própria vida!

Não nos determinamos! Fomos determinados a ser o que somos!

Então, aceitemos nossa condição de subordinação! Aceitemos nossa impotência!

NÃO!

Essa hipnoze será rompida!

Trilhar os caminhos da autonomia significa ter a posse de nós mesmos. Significa que nossa vida não será determinada por critérios externos, alheios a nossa própria condição de existir.

Não seremos determinados pela posição social de nossos pais ou mães, não seremos diferenciados por assumir e manifestar nossas escolhas e não seremos classificados pelos títulos que nos conferem.

A autodeterminação como condição de dignidade exige que aceitemos que podemos fazer nossas escolhas e que outras escolhas podemos ter, senão esta que nos oprime, nos afasta uns dos outros e nos submete a vícios e nos aprisiona em uma teia de marketing eficientes.

Faremos uma escolha de trilhar novos caminhos: o da autonomia!

Na bagagem, então, levaremos ..... (O QUE REALMENTE QUEREMOS SER!!!!)



Nenhum comentário :